O tratamento da asma deve continuar durante a pandemia de coronavírus

15/05/2020 / por Fundação ProAr

Dar continuidade ao tratamento prescrito é fundamental para não ter complicações durante a pandemia

Logo que a pandemia de coronavírus se espalhou, asmáticos foram classificados como grupo de risco. Não existe nenhuma confirmação científica comprovando que a asma aumenta a chance de contrair o vírus, porém, como a asma é uma doença que compromete o pulmão, a chance de se tornar um paciente grave de Covide-19 existe.

Para evitar que isso aconteça, além de adotar os hábitos de higiene e o distanciamento social, é imprescindível seguir o tratamento prescrito. A asma é uma doença crônica inflamatória, assim como a pressão alta ou a diabetes, mas infelizmente não conta com um aparelho de controle que indica quando está perto de acontecer uma crise.  

O tratamento, portanto, deve ser feito com anti-inflamatórios, os corticoides inalatórios de maneira contínua, mesmo que o asmático não apresente sintomas diários. Manter a asma sob controle é essencial para oferecer qualidade de vida ao asmático, principalmente neste momento de pandemia.

 

Asma não tem cura, mas pode ser controlada

A Dra. Angela Honda, Líder de Programas Educacionais da Fundação ProAR,endossa a necessidade do tratamento e os efeitos da medicação no organismo no vídeo a seguir.

 

 

 


  • Asma
  • Bronquiectasia/ Fibrose Cística
  • Câncer de pulmão
  • Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC)
  • Tuberculose
  • fechar [x]

    eucalipto

    texto texto texto